Pular para o conteúdo principal

DESTAQUE:

Setembro Amarelo é mais do que uma campanha

 Oi oi pessoas, como vocês estão? Essa semana é a minha estreia aqui no blog e vou conversar com vocês sobre saúde mental, bem-estar e autoconhecimento. E já que estamos no mês de Setembro acredito que é importante falarmos do Setembro Amarelo. Você já ouviu algo sobre isso?  Como começou a campanha Setembro Amarelo? Em 1994, um jovem americano de 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Comovidos com a situação, seus amigos e familiares distribuíram no seu funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem passando o mesmo desespero de Mike, e a mensagem foi espalhada mundo afora e chegou no Brasil.  Aqui no Brasil a campanha Setembro Amarelo foi criada a fim de informar a população e prevenir o suicídio. Afinal de contas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa tira a própria vida em algum lugar do planeta, e o suicídio é a segunda principal causa de morte em jovens com idades en

Resenha de Irmandade, Série Netflix

Olá menines, tudo bem? Hoje tem resenha/dica de série por aqui, e pra quem vai sextar no conforto do lar ou pra quem quer começar uma nova série no final de semana, a dica vale muito! Você já deve ter visto e escutado falar da série Irmandade, não? Pois bem, a bonita é bem da polêmica e hoje vou te contar porquê, mas relaxa que aqui quase não tem spoiler.

Imagem: Reprodução.

Sinopse de "Irmandade"

A série começa quando Cristina (Naruna Costa) descobre que seu irmão, Edson (Seu Jorge) que está preso já há vinte anos, comanda uma facção criminosa chamada Irmandade. Cristina é advogada, e Edson foi preso por tráfico de drogas ainda na adolescência, após ser delatado pela própria irmã para o próprio pai. Após todo esse tempo sem ver o próprio irmão, ela se vê entre a cruz e a espada, quando comete um "delito" e para não ser presa, em troca precisa colaborar com a polícia para deter Edson e toda a quadrilha. Infiltrada na Irmandade, Cristina se torna informante do detetive, arriscando a própria vida, e à medida que as coisas começam a sair do controle, as consequências começam a pesar sobre ela e sobre os outros envolvidos.

Resenha de "irmandade": sem romantização

Já adianto que a série é muito pesada, tem sim muita violência, palavrão, traição, para quem não gosta desse tipo de contexto (a mamãe aqui adora) pode não conseguir assistir algumas cenas. Porém, é indispensável que tenha esse teor, quando estamos falando de uma série que retrata o cotidiano de uma facção criminosa. Apesar do apelo, em momentos ela consegue trazer o lado "humano" dos personagens. A trama é fortíssima, e gira em torno da Cristina, que se divide entre os dois lados: do crime e da lei, deixando o espectador muitas vezes irritado com as consequências das suas manipulações.

Resenha de Irmandade, Série Netflix
Imagem: Reprodução.

A série se passa no ano de 1994, e os cenários e figurinos são muito realistas da época, para quem viveu nesta época (a mamãe aqui que já tá beirando os trinta) vai se lembrar como se fosse ontem das decorações das casas, carros, ônibus, orelhões, e por aí vai. Algumas cenas foram gravadas em comunidades, e outras em um presídio ativo, o que torna a atmosfera ainda mais realista.


Seu Jorge no papel de Edson fez um trabalho IMPECÁVEL, é incrível assistir e ver o quanto ele é talentoso, e os demais atores trabalharam também incrivelmente bem. Além de Seu Jorge e Naruma Costa, quem ganha destaque com uma atuação de tirar o fôlego são os atores Lee Taylor, Herminia Guedes e o ator Pedro Wagner, que interpreta o também criminoso conhecido pelo apelido de Carniça.

Além de tudo, o trabalho de fotografia é muito bem feito, remetendo ainda mais à década de 90, e na trilha sonora, conta com nomes de peso, como Racionais Mc's.

Classificação Etária: 18 anos
Episódios: 8 episódios de cerca de 55 minutos, uma temporada
Criação: Pedro Morelli
__


 
Quem sou eu?

Oi! Eu sou Kátia Malagodi, criadora do DMF, publicitária, modelo, vegetariana, apaixonada por moda sem regras, beleza sem crueldade, livros e música. Criei o blog DMF em 2016 pra compartilhar algumas ideias, e de lá pra cá aprendi muito e me apaixono cada vez mais pelo que faço! Me siga no Instagram @katiamalagodi pra acompanhar mais dicas e conhecer um pouco da minha rotina sem rotina, e siga o @docemaldadefeminina também pra acompanhar dicas exclusivas do Insta! Te encontro por lá!

Comentários