Pular para o conteúdo principal

DESTAQUE:

Jeans Sustentável e Preços Acessíveis: É possível?

 Olá, menine! Tudo bem? No post de hoje vamos falar sobre jeans sustentáveis e qual é a importância de optarmos por peças com produção mais sustentável. Mas antes disso, quero deixar claro que: é impossível exercer uma produção ou consumo 100% sustentável, o que podemos (e devemos) fazer é nos conscientizar sobre a forma que consumimos e fazer as melhores escolhas possíveis. Quando eu falar, ao longo do texto, que são "jeans sustentáveis ou mais sustentáveis", entendemos que são produzidos com o menor impacto possível para o meio ambiente, mas ainda assim, é gerado um impacto.   Já falei aqui no blog sobre a importância de termos controle sobre o nosso consumo (clique aqui ) e recentemente sobre a diferença entre moda sustentável e a moda consciente , e como podemos exercer uma moda mais consciente, até que a sustentabilidade chegue ao alcance de todos (clique aqui para ver!). Hoje, as marcas com jeans mais sustentáveis que você vai ver neste post, são marcas conhecidas, que

Living With Yourself: série escondida da Netflix

Olá menines, tudo bem? Domingo é dia de colocar as séries em dia e de começar séries novas, e falando em novidades, hoje a resenha é sobre um dos lançamentos mais recentes da Netflix, a série Living With Yourself, traduzida para o português com o nome Cara X Cara.

Wallpaper de A"Living With Yourself". Imagem: Reprodução Netflix.

Sinopse de "Living With Yourself"


Living With Yourself nos leva à vida pacata e estagnada de Miles, interpretado por Paul Rudd, Miles é casado com Kate (Aisling Bea), e o casamento deles não é dos melhores. Os dois estão tentando ter um filho há alguns anos, investindo dinheiro e esperança em tratamentos caros, sempre sem sucesso. Na empresa onde trabalha, Miles não tem prestígio algum e é visto como um funcionário cuja participação é indiferente. 

Cansado de levar uma vida que beira a mediocridade, Miles vai a um spa recomendado por um colega de trabalho, que promete fazer "milagres" e melhorar todos os aspectos da vida dele. Porém, ao chegar no spa, é submetido a um procedimento suspeito a que ele nem ao menos foi informado. Sem lembrar de nada que aconteceu, Miles acorda dentro de um saco, enterrado em um bosque, e volta ao spa em busca de respostas, quando ele descobre que foi clonado.

Então, o clone de Miles começa a viver a vida dele, e no começo todos estranham o Miles "novo": está muito mais bem humorado, criativo, cheio de energia, muito mais romântico, muito mais confiante, todos gostam mais dele nesta nova "fase". A partir daí, o verdadeiro Miles entra em uma competição pela própria vida com o seu clone.

Opinião: Living With Yourself

A série mantém o espectador entretido, apesar de ser um pouco morna, mas é inevitável a ansiedade de saber o que vai acontecer com os dois Miles. Mas o ponto principal que prende à história, é a interpretação de Paul Rudd, que faz duas personalidades completamente diferentes, e com o verdadeiro Miles, ele consegue fazer o você se questionar o que pode ter acontecido a Miles para que ele tenha se tornado um homem tão deprimido e sem energia, tão insatisfeito com tudo na própria vida.

Miles dirige um carro sem porta, usa roupas desleixadas, está sempre com os cabelos despenteados. Seu relacionamento com Kate beira o fracasso, os dois sequer tem assunto para conversar durante um café da manhã. No trabalho ele tem uma postura totalmente submissa. Ao se olhar no espelho, claramente não gosta do que vê, a forma como se olha, sua postura, até seu jeito de falar estão sempre dizendo que ele se sente um fracassado, que está totalmente insatisfeito com sua vida.

Além disso, os episódios intercalam a escala de tempo, ou seja, para você entender a que ponto chegamos, precisa voltar em situações que foram levando uma coisa a outra, e tornaram Miles o homem que ele é hoje. Eu confesso que comecei a assistir sem muita expectativa, mas é o tipo de enredo que faz a gente ter empatia pelo personagem.

Com relação à produção, nem preciso dizer que não deixa nada a desejar, né? A Netflix tem investido bem o seu rico dinheirinho quanto a isso. Os episódios são curtos, todos tem entre 20 e 30 minutos, e são somente oito episódios, então num mesmo dia dá para assistir tudo, e se eu fosse você começaria a assistir já, porque a série tem suas reviravoltas e no final, você vai ficar com aquela ansiedade terrível que a gente sente quando espera pela próxima temporada, porque as surpresas são bem polêmicas.

Classificação Etária: 11 anos
Duração: 1 temporada, 8 episódios
Direção: Johathan Dayton e Valerie Faris
Elenco: Paul Rudd, Aisling Bea, Desmin Borges, Zoë Chao
__


 Quem sou eu?

Oi! Eu sou Kátia Malagodi, criadora do DMF, publicitária, modelo, vegetariana, apaixonada por moda sem regras, beleza sem crueldade, livros e música. Criei o blog DMF em 2016 pra compartilhar algumas ideias, e de lá pra cá aprendi muito e me apaixono cada vez mais pelo que faço! Me siga no Instagram @katiamalagodi pra acompanhar mais dicas e conhecer um pouco da minha rotina sem rotina, e siga o @docemaldadefeminina também pra acompanhar dicas exclusivas do Insta! Te encontro por lá!

Comentários

Mais Lidas: