Pular para o conteúdo principal

DESTAQUE:

Setembro Amarelo é mais do que uma campanha

 Oi oi pessoas, como vocês estão? Essa semana é a minha estreia aqui no blog e vou conversar com vocês sobre saúde mental, bem-estar e autoconhecimento. E já que estamos no mês de Setembro acredito que é importante falarmos do Setembro Amarelo. Você já ouviu algo sobre isso?  Como começou a campanha Setembro Amarelo? Em 1994, um jovem americano de 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Comovidos com a situação, seus amigos e familiares distribuíram no seu funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem passando o mesmo desespero de Mike, e a mensagem foi espalhada mundo afora e chegou no Brasil.  Aqui no Brasil a campanha Setembro Amarelo foi criada a fim de informar a população e prevenir o suicídio. Afinal de contas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa tira a própria vida em algum lugar do planeta, e o suicídio é a segunda principal causa de morte em jovens com idades en

Vozes de Tchernóbil

Vozes de Tchernóbil é um livro para sairmos da nossa zona de conforto. Para nos fazer enxergar além do que nos foi mostrado, ensinado. Um exemplo de como aprendemos história de uma maneira sutil, de como nos fazem pensar que uma realidade caótica muitas vezes pode ser dada como normal, mesmo sendo muito mais obscura do que sequer consigamos pensar.

livro vozes de tchernóbil de svetlana aleksiévitch
Vozes de Tchernóbil, Svetlana Aleksiévitch

Sobre Vozes de Tchernóbil


Obra de Svetlana Aleksiévitch, escritora e jornalista bielorrussa, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura 2015. Suas obras abordam histórias de homens e mulheres soviéticos e pós soviéticos, a partir do ponto de vista mais realista: o de quem viveu todo o sofrimento. Estamos acostumados a ler de forma técnica, prática, superficial sobre grandes desastres, tragédias e guerras que fazem parte da história, mas Svetlana dá voz aos sobreviventes, e expõe da maneira mais íntima possível, nos fazendo perceber a humanidade por trás dos fatos. O tão conhecido desastre nuclear de Chernobil, ocorrido em 1986, na cidade de Pripyat, Ucrânia - região pertencente à antiga União Soviética - deixa uma enorme quantidade de partículas radioativas na atmosfera. O solo é contaminado, a água, os alimentos, roupas. As pessoas são contaminadas. Alguns morrem rapidamente, outros sofrem com os efeitos da radiação a longo prazo, com doenças respiratórias, cardíacas, tumores, mutações. Soldados, trabalhadores e cientistas são enviados ao local do desastre como se suas vidas não valessem mais do que interesses políticos e econômicos. O livro é construído a partir do relato dos sobreviventes: homens e mulheres, jovens e idosos, trabalhadores, viúvas, esposas, sem alterações nos monólogos, revelando toda a monstruosidade do maior desastre nuclear da história.


Minha opinião sobre Vozes de Tchernóbil


É verdade, é muito diferente do que a maioria das pessoas costuma ler, mas por ser tão impressionante, realista, transparente, é um livro muito marcante, e vai ser impossível não se interessar por outros livros da autora. Com certeza é uma das obras mais fortes que eu já tive o prazer de ler.

Capa comum: 384 páginas
Editora: Companhia das Letras
Dimensões do produto: 21 x 13,6 x 2,4 cm
Preço médio: entre R$39,00 e R$49,90 na www.amazon.com.br

A próxima dica a passar por aqui vai ser "A Guerra Não Tem Rosto de Mulher", também da Svetlana. ;)



Comentários