Arctic Monkeys de Cara Nova?

A playlist da semana traz uma das bandas mais conhecidas, amadas, adoradas e bem sucedidas da atualidade: Arctic Monkeys! A banda britânica que é ícone na cena indie rock, lançou novo álbum no mês de maio, o Tranquility Base Hotel & Cassino, que não só deu o que falar como também dividiu opiniões. 

Sobre o Arctic Monkeys


O Arctic Monkeys teve sua formação em 2002, e atualmente conta com o nosso querido Alex Turner  (guitarra e vocal), Jamie Cook (guitarra), Nick O'Malley (baixo e vocal de apoio) e Matthew Helders (bateria e vocal de apoio). Eles tem seis álbuns de estúdio, Whatever People Say I Am, That's What I'm Not (2006), Favourite Worst Nightmare (2007), Humbug (2009), Suck It and See (2011), AM (2013) e agora o Tranquility Base Hotel & Casino (2018).

Banda Arctic Monkeys
Imagem: Reprodução


O Arctic Monkeys, numa postura completamente diferente de muitas bandas, ao início da carreira distribuiu CDs com suas músicas para alguns de seus ouvintes, que por sua vez, fizeram cópias e divulgaram as músicas da banda sem que eles soubessem. E foi assim que eles começaram a crescer e se tornaram conhecidos, e graças a isso, o lançamento de seu primeiro álbum foi um sucesso. Além do Arctic Monkeys, Alex Turner é vocalista no The Last Shadow Puppets (tem resenha do Last Shadow Puppets aqui).

Sobre Tranqulity Base Hotel & Cassino


O Tranquility Base Hotel & Casino é absolutamente diferente de tudo o que o Arctic Monkeys já fez. Os caras que sempre tiveram uma pegada bem noise, mudaram totalmente o estilo, que reflete também nos figurinos, com um ar muito setentista, e pasmem, músicas calmas e sem o peso que nós já estávamos esperando. Alguns de seus fãs, que esperaram por um trabalho novo da banda após um silêncio de cinco anos, ficaram decepcionados, mas não é difícil entender o motivo.

Tranquility Base Hotel & Casino álbum


Primeiramente, devo dizer que na minha opinião, eles fizeram sim um bom trabalho, mas não diria que vou escutar este álbum tanto quanto AM ou Favourite Worst Nightmare, que tem as músicas que mais amo dos caras. Nesse período em que o Arctic Monkeys ficou sem gravar, os gostos, influências e personalidade da banda mudaram muito, e em um espaço de cinco anos, colocar toda essa mudança de uma vez é gritante, e por isso essa diferença de sonoridade, melodia e até arranjo musical. Não houve uma "transição" de estilos entre o último álbum e o anterior, então os fãs não tiveram a chance de se "acostumar" com essa nova cara do Arctic Monkeys. Para quem conhece bem o Last Shadow Puppets, a outra banda do Alex Turner, percebe que eles tem essa pegada setentista que o Arctic Monkeys trouxe para a atualidade, mas de uma forma mais discreta e sem perder a essência indie. Além disso, a impressão que dá é de que o Alex Turner, neste tempo todo em que estava trabalhando com o Last Shadow Puppets e sem lançar trabalhos novos com o Arctic Monkeys, estava se preparando para assumir uma postura musical diferente. 

Como eu disse, não é o meu álbum favorito dos caras, mas apesar de toda a diferença, vale a pena ser ouvido do início ao fim, mas para isso eu recomendo, principalmente se você for um fã resistente a mudanças, que escute como se fosse uma banda nova, porque é difícil comparar a trabalhos anteriores, e aparentemente é isso o que eles estão se mostrando, um novo Arctic Monkeys. 

Agora chega de falação, dá play na playlist aqui ao lado << e toca rock! E não se esqueça também de curtir a página do Doce Maldade Feminina no Facebook e seguir em todas as redes sociais para acompanhar as playlist de rock mais diferentonas e muito mais! Beijão e até a próxima 😘


Comentários