A Costureira de Dachau

"Uma história de amor, guerra, traição e sobrevivência."

A Costureira de Dachau foi escrito por Mary Chamberlain. Diplomada pela faculdade Royal Holloway da Universidade de Londres, Mary é autora de obras acadêmicas e professora de história na Universidade Oxford Brookes. 


Livro A Costureira de Dachau


Sobre A Costureira de Dachau


O romance conta a trajetória de Ada Vaughan, jovem e que aos 18 anos de idade tinha grandes ambições. Embora tenha nascido e sido criada por uma família simples, Ada sonhava em conhecer o mundo e se tornar uma mulher bem sucedida. Em Londres, no ano de 1939, época da Segunda Guerra Mundial, Ada conheceu um homem com o qual teve um romance. Stanislaus, o homem por quem Ada se apaixonou, prometeu que a levaria para conhecer outros países, jurou-lhe conforto e comprometeu-se a dar a ela um relacionamento sério e feliz, a convencendo a viajar às pressas para a França, deixando sua família toda para trás. Porém, ao chegarem em Paris, Ada pôde conhecer a verdadeira identidade de Stanislaus e soube que ele não era o homem bom que ela imaginava, e que seus dias de conforto estariam contados. Com a explosão da guerra, Ada foi abandonada e teve que se virar sozinha em um mundo desconhecido. 

Minha Opinião Sobre A Costureira de Dachau


A Costureira de Dachau é um romance que tinha tudo para dar certo e ser uma leitura irresistível, mas parece ter se perdido no meio do caminho. A um primeiro momento parece muito interessante acompanhar a trajetória de uma mulher jovem que largou tudo para viver um grande amor e se deparou com o abandono, e de fato a curiosidade é o que faz o leitor continuar a leitura. 

A começar pelos personagens, a forma como a autora os desenvolveu é muito fraca, eles se parecem mais com figurantes em uma cena de novela: a descrição física, temperamental ou pessoal dos personagens é muito superficial e em alguns casos não existe essa descrição, No caso de Ada que a autora revelou mais, mas ainda assim de forma muito vaga. Além disso, a maioria  dos personagens não é tão presente no romance. A própria Ada não tem sentimentos ou pensamentos revelados com intimidade. 

O enredo também deixa muito a desejar. Ada foi agiu de forma extremamente ingênua e por isso foi enganada por Stanislaus, e ao esperar que todo o seu sofrimento servisse de aprendizado e a tornasse mais forte, nos deparamos, anos depois, com a mesma garota iludida. Acontecem muitas coisas a partir de sua primeira decepção, mas a personagem não consegue tirar nada de bom em meio a tanta desgraça. 

Anos se passam durante o romance, mas este é outro ponto que a autora não deixou claro o suficiente para o leitor, fato que chega até a confundir um pouco a leitura. Eu não posso dizer que o livro é ruim, pois levo em consideração o trabalho de escrever um romance, o tempo investido e conhecimento necessário para a coerência do enredo, porém é uma história que de início é empolgante e com o desenrolar vai ficando sem graça, e esperamos que Ada seja um exemplo de força e superação como muitos outros personagens, inclusive reais, de histórias de guerra, e não acontece dessa forma. Sendo assim, além de dizer mais de uma vez que "não se deve confiar em estranhos", e denunciar o machismo presente na época da Segunda Guerra Mundial (fato óbvio e conhecido) o livro infelizmente não tem nenhuma grande lição a nos ensinar, e o destino de Ada é revoltante para qualquer leitor que consiga ir até o final.

Informações:


Capa comum: 336 páginas
Editora: Casa dos Livros; Edição: 1ª (30 de abril de 2015)
Idioma: Português
Dimensões do produto: 22,8 x 15,2 x 1,8 cm
Avaliação: 4 estrelas
Preço médio: R$24,50 na amazon.com.br

Comentários