sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Maglore

Existem músicas que escutamos os primeiros 10 segundos e já sabemos que vamos amar. Assim foi quando escutei Maglore pela primeira vez. O Maglore teve sua formação em 2009 em Salvador, e hoje é composto por Lelo Brandão (guitarra, teclado e voz), Felipe Dieder (bateria), Teago Oliveira (voz e guitarra) e Lucas Oliveira (voz e baixo).

Maglore
Banda Maglore, imagem de Azevedo Lobo. Reprodução Maglore.


O Malore tem quatro álbuns lançados, sendo o primeiro intitulado Veroz, com lançamento em 2011, e na sequência Vamos Pra Rua, em 2013, III em 2015 e Todas As Bandeiras, lançado em 2017. O álbum Veroz foi considerado revelação da música brasileira pelo Jornal Globo em 2011, além de ter  videoclipes exibidos em canais como MTV Brasil, Multishow e Play Tv. Veroz foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira de 2012.


Maglore toca uma mistura de pop rock, rock alternativo e MPB que resulta em uma sonoridade leve e deliciosa. Com letras inteligentes e sinceras, facilmente nos identificamos com suas mensagens, além das melodias tranquilas e tocantes. O estilo da banda é super jovem e totalmente cativante, e embora hajam algumas diferenças no arranjo musical entre um álbum e outro, você começa escutando desde a primeira música do primeiro álbum até a última música do ultimo álbum sem conseguir escolher um favorito. Mais uma super banda que representa com êxito o cenário do rock brasileiro com músicas cheias de sentimento. 

Agora que você conhece um pouco sobre a banda, dá play no vídeo e na playlist da semana e toca rock!

Máscara Novex - Broto de Bambu

Já falei aqui no blog a importância dos cuidados com os cabelos: hidratação, nutrição, umectação, reconstrução. Principalmente para os cabelos cacheados e crespos, a hidratação é fundamental, devido à curvatura dos fios que dificulta a distribuição de oleosidade. Eu por exemplo, hidrato meus cabelos duas vezes por semana, sendo assim não posso ficar sem máscara de hidratação! Porém, toda vez que compro um produto para os cabelos, gosto de comprar um produto diferente e de preferência algum que não tenha usado ainda. Dessa vez a minha máscara queridinha é a Novex Broto de Bambu. E essa máscara não é somente para cabelos cacheados, é ideal para todas as texturas.

Máscara Novex - Broto de Bambu


A máscara tem o que é chamado de Hair Food, que é um "complexo" de broto de bambu, rico em Vitaminas A, B, C e E, aminoácidos, e minerais. Com a finalidade de Biofortalecimento Capilar, indicada para cabelos quebradiços e com queda, ela promete penetrar profundamente nos fios e proporcionar além de fortalecimento, maciez, hidratação e brilho.

Nas principais características, promete alta consistência, fórmula rica em vitaminas, alta concentração e ótimo rendimento.


Resultado Tratamento Máscara Novex Broto de Bambu


A um primeiro uso já percebi bastante brilho nos cabelos e bastante maciez, inclusive até o desembaraço pareceu mais fácil e também senti os cabelos mais soltos, mesmo usando creme para pentear.

Com um mês de uso eu já percebi diferença com relação à força dos meus cabelos, que nunca foram quebradiços e nunca tive problema de queda dos fios, porém algumas semanas antes de começar a usar a máscara estavam caindo mais. Eu percebi que passaram a cair bem menos e até um crescimento um pouquinho mais rápido, mas nada de extraordinário, provavelmente devido às vitaminas da fórmula.

O perfume é super leve, tem um cheirinho bem suave de folha de bambu.

Quanto ao rendimento, gostei também porque o meu pote ainda está para cima da metade e já tem mais de um mês que estou usando duas vezes por semana. 

Resultado: aprovado!

Um pote de 1kg custa cerca de R$20,00, pode encontrar em qualquer farmácia, perfumaria, supermercados e até em lojas de departamento. Custo benefício vale a pena, resultado satisfatório e praticidade, já que você pode fazer o tratamento 3 minutos, então dá para usar no dia-a-dia sem pressa.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Mindhunter

Se eu disser que mesmo tendo assistido à série e já saber muito do que encontraria na leitura de Mindhunter, e mesmo assim me surpreendi, você acredita? Este livro é de um impacto muito grande para o leitor, mas também tem um conteúdo intrigante e que nos faz pensar muito. Escrito por John Douglas e Mark Olshaker em 1995, foi adaptado em 2017 a uma série produzida pela Netflix.


Mindhunter


John Douglas


"Foi fundador e chefe da Unidade de Apoio Investigativo do FBI, ajudou a desenvolver e estabelecer a prática de análise de perfis para a resolução dos casos mais assustadores envolvendo serial killers nos Estados Unidos. É autor de diversos livros sobre a mente dos assassinos e sobre os procedimentos de análise de perfis de criminosos."

Mark Olshaker 


"É escritor, diretor e produtor. Recebeu um Emmy pelo documentário Roman City."

Sobre Mindhunter


John Douglas e Mark Olshaker tiveram um papel fundamental para os estudos da ciência comportamental. Buscavam não somente prender e punir os mais perigosos assassinos, como entendê-los. E para isso arriscaram-se a conhecer os pensamentos, as motivações, traumas, e personalidades de serial killers condenados pelos assassinatos mais complexos e aterrorizantes. Deslocaram-se até os presídios onde estes homens temidos por toda uma nação estavam, assinando um termo de responsabilidade pela própria segurança a fim de entrevistá-los.

O primeiro serial killer a ser entrevistado foi Edmund Kemper, em Vacaville. Conhecido como Ed Kemper, foi condenado por assassinar mulheres após lhes oferecer carona, e por ultimo sua própria mãe, num total de 10 assassinatos. Ao conhecer Ed kemper, os agentes perceberam que mais do que um assassino, era um homem inteligente, bem educado e aparentemente calmo. Era como se aquele homem fosse incapaz de cometer todos aqueles crimes. Após algumas "sessões" de diálogo com Kemper, perceberam que ele tinha sentimentos de profunda revolta contra a própria mãe e que na sua adolescência foi profundamente desprezado por ela. Jerry Brudos, condenado por estrangular e matar mulheres jovens e bonitas, ficou conhecido por ter um estranho fetiche por sapatos femininos. Quando foi entrevistado, revelou em um momento de sua infância, ter encontrado um par de sapatos femininos no lixo e levado para casa para brincar. A reação de sua mãe não foi das melhores e ele foi severamente castigado por isso e proibido de usar aqueles sapatos.

Após muito observar e conhecer dos assassinos em série que estavam entrevistando, e com toda a experiência no FBI, John e Mark conseguiam pensar como um serial killer, imaginar quais seriam suas motivações e qual seria a satisfação do ato, desta forma, prevendo ações e identificando padrões entre crimes e criminosos. Mas as observações de Mindhunter nos levam além, e nos deixam um questionamento: será que se alguns desses criminosos, como Ed Kemper e Jerry Brudos, não tivessem sofrido traumas, desprezo, violência doméstica, teriam eles se tornado assassinos tão perigosos? Será que eles já tinham uma "pré-disposição" ao crime? Porque existem muitas pessoas que sofrem o mesmo tipo de violência e desprezo da família e não se tornam assassinos? Todos os criminosos sabiam da gravidade dos seus crimes, mas o que os teria de fato motivado a cometerem tamanha crueldade?

Sem dúvida, é um livro para ser devorado por despertar uma curiosidade insaciável no leitor. A escrita é muito bem fluída e direta, conta detalhes principais de cenas de crimes, que impressionam e para alguns pode ser um pouco incômodo, então esteja preparado para uma narrativa de cenas fortes. Mas, apesar do impacto, vale muito fazer a leitura, pois além de matar a curiosidade sobre mentes que a princípio parecem impossíveis de compreender, é um livro rico em conhecimento. Além de tudo a edição traz imagens dos principais serial killers citados, de John Douglas, Mark Olshaker e de outros membros importantes para os estudos da Ciência Comportamental.

Informações:


Capa comum: 384 páginas
Editora: Intrínseca 
Idioma: Português
Dimensões do produto: 24,6 x 16,8 x 6,4 cm
Avaliação: 4 estrelas
Preço médio: entre R$27,90 e R$39,90 na amazon.com.br