Sobre Sexualidade, Preconceito e "Cura Gay"

O ser humano é portador de uma grande necessidade de julgar ao próximo para se sentir melhor com suas falhas, seus defeitos, seus erros, seu passado, suas sujeiras. Julgar ao próximo faz com que aquele que julga se sinta menos sujo, menos errado. Essa necessidade normalmente existe em quem esconde algo, quem trava uma luta dentro de si mesmo por conhecer e não aceitar os próprios demônios. E julgando ao próximo esse "juiz" veste a máscara que esconde as suas desgraças. Mas vamos lá! Você pode não gostar de homossexuais? Pode. Mesmo porque, o gosto NÃO SE BASEIA EM ARGUMENTO e sim em preferências pessoais das quais são baseadas nas suas experiências pessoais. Opinião, por outro lado, se baseia em argumento e argumento não é "eu acho que..."; ARGUMENTO É UM FATO DO QUAL SE PODE PROVAR, no qual você vai ter base para a sua opinião.

Voltemos ao "gostar". Você pode não gostar de homossexualidade, bissexualidade, pode não gostar de transexuais, travestis, pode não gostar do que você não gostar. O que não pode é desrespeitar. Independente do seu gosto pessoal ou opinião, a vida de outra pessoa não lhe diz respeito. E francamente, se a vida sexual de outra pessoa que não é o seu parceiro e na maioria das vezes você nem conhece te incomoda, o problema só pode estar dentro de você. Eu já disse isso quando falei sobre aborto, e repito: nós não temos o direito de decidir pelas vidas de outras pessoas. E as outras pessoas não merecem sofrer por causa de preconceitos, porque elas não tem nenhuma responsabilidade sobre a formação ideológica de pessoas preconceituosas.

A imagem contém: muro com sombra de homens homossexuais dando as mãos, arco-íris e a frase "isto é normal"


Muitas pessoas já me perguntaram o que eu faria se eu tivesse um filho homossexual, bissexual ou trans, como se isso significasse ter um filho traficante de drogas, estuprador ou algum outro tipo de criminoso. Primeiramente, eu devo confessar que não é o que eu mais desejaria, mas vou explicar o porquê: eu tenho muitos, muitos, muitos amigos homossexuais. Eles são as melhores companhias, eles tem a melhor energia, o melhor humor, são pessoas que eu amo e sou infinitamente grata por tê-los em minha vida. E por serem meus amigos, eu posso dizer que presenciei muita coisa ruim também. Já os vi sofrendo com o preconceito de familiares e pessoas próximas, de pessoas desconhecidas na rua. Eu tenho amigos que levaram anos para assumir a sua sexualidade com medo do que a família faria, com medo do que os amigos fariam. Com medo do que a sociedade faria.

Cada vez que eu vejo um caso de violência contra um homossexual, bissexual ou trans, meu coração fica despedaçado por ver a que ponto a ignorância, a intolerância, o descaso, a crueldade humana pode chegar. Eu choro por eles. Ninguém escolhe sua sexualidade porque ninguém deseja passar por isso. A vida já é difícil demais para todos e ninguém vai escolher ser julgado, ser alvo de brincadeiras maldosas, ninguém vai escolher sair na rua para se divertir correndo mais um risco que é o de ser agredido somente por ser quem é.

E por isso, eu digo, se eu tivesse um filho eu não gostaria que ele passasse por essa violência física e intelectual e infelizmente eu sei que não sou responsável pela ignorância do ser humano. Mas, se eu tivesse um filho homossexual, bissexual, trans, eu seria o mundo para ele. Eu seria a leoa para defender a cria quando precisasse, eu seria seu suporte, eu seria a sua confidente, a sua melhor amiga, eu aceitaria sim que levasse namorado ou namorada pra casa porque sob o meu teto ninguém os prejudicaria, ninguém os ofenderia, ninguém os agrediria. Eu seria seu porto seguro, eu tomaria todas as suas dores pra mim. E é isso o que as famílias precisam entender. Isso é o que os "amigos" precisam entender.

Não podemos e não temos o direito de mudar a sexualidade de ninguém, mas podemos fazer com que as pessoas que amamos se sintam amadas e amparadas quando necessário. Podemos fazer com que se sintam em casa, que se sintam livres. Somente quem passa por todo esse preconceito, esse julgamento, essa discriminação, sabe da batalha que trava contra todos e contra si mesmo diariamente, somente quem passa por isso sabe das dores que carrega, e a vida, repito, já é dura demais. 

Os Efeitos da "Cura Gay" Para a Sociedade


Estamos em 2017 e mesmo com tantos avanços tecnológicos e científicos a humanidade parece caminhar cada vez mais ao passado. Cada vez mais estudos indicam que a sexualidade de um indivíduo está enraizada no seu DNA (e para quem interessar aqui está um link para aprofundar o assunto). Pois bem, mesmo com estudos indicando que o indivíduo nasce com a sexualidade definida, existem pessoas que ignoram ou que pensam estar acima da ciência. Então vejamos bem, se diante de tantos avanços ainda temos que lidar com pessoas preconceituosas, uma falsa possibilidade de cura só faz aumentar o preconceito. A família que é contra ter um filho homossexual, bi e etc. vai usar desse falso "argumento" para tentar mudar o que é impossível. Pessoas serão forçadas a um tratamento inútil e que só vai trazer mais sofrimento. A ideia de "cura gay" vai dar respaldo ao preconceito, à agressão, ao julgamento, à discriminação, e quem sofre na pele com todo esse horror gratuito vai se sentir cada vez mais violado. Daí a desenvolver um quadro de depressão ou ansiedade, por exemplo, é um caminho quase certo. A "cura" é mais que um retrocesso, é uma violação da liberdade, uma violação da tolerância, uma violação do respeito. É uma agressão ao amor. A cura de que precisamos é para o preconceito. 

Aos Meus Amigos e Todos os Homossexuais, Bissexuais e Trans


Vocês melhores que eu sabem o quão difícil é enfrentar essa intolerância. Mas vocês não são responsáveis pelo preconceito e ignorância alheios. O preconceito pode vir de muitas formas e diferentes lados, mas sempre existirá amor em suas vidas, sempre existirá brilho, sempre existirão pessoas para amá-los e os verdadeiros amigos. Sempre haverá luta, mas sempre haverá amor. Não podemos nos permitir abandonar a alegria de viver ou nos deixar abalar. Enfrentamos muitas batalhas desde o início dos tempos para conquistar a nossa liberdade sobre tudo o que é injusto e a batalha contra o preconceito ainda será vencida.

Comentários