segunda-feira, 31 de julho de 2017

A Nova República

Um livro que trata de terrorismo, jornalismo, luta de egos e adoração. A Nova República, livro de Lionel Shriver, autora do sensacional Precisamos Falar Sobre o Kevin e Tempo É Dinheiro, traz a história de Edgar Kellogg, um advogado americano que se aventura como jornalista.

Livro A Nova República de Lionel Shriver


Edgar é um ex-garoto gordo, complexado na adolescência pela aparência física, nada popular. Sempre se sentindo a sombra dos mais adorados, decide deixar a vida em Nova Iorque como advogado e trabalhar como jornalista na região fictícia de Barba, em Portugal. Fica hospedado na região de Cinzeiro, uma vila pobre, abandonada e que muitos querem passar longe. Lá ele fica encarregado de cobrir as disputas entre o movimento político pró-independência chamado de "Creme de Babear" e o grupo terrorista "S.O.B". O que Edgar não esperava é que, ao se mudar par Barba fosse passar pela mesma situação desgastante que procurava fugir e ficar na sombra daquele que estava para substituir, Barrington Saddler. Em meio a comparações e indecisões, Edgar se vê, em momentos, sendo obrigado a tomar decisões que podem influenciar a vida de muitas pessoas.
Lionel marca mais uma vez seu estilo inteligente, seu humor irônico e sua forma crua de desvendar os pensamentos e sentimentos mais escondidos dos personagens da forma mais humana possível: a luta contra o próprio ego, o egoísmo que passa por cima do bom senso, as decisões impensadas, a consciência pesada, o arrependimento. Uma leitura que consegue ser divertida, cativante, surpreendente e revoltante - o que prova mais uma vez a intensidade da escrita de Shriver. Não é o melhor livro da autora, mas com certeza uma leitura muito interessante e que não pode faltar, principalmente se você já leu e gostou de algum outro livro dela.

Informações:
Capa comum: 384 páginas
Editora: Intrínseca; Edição: 1ª (22 de janeiro de 2015)
Dimensões do produto: 22,8 x 15,6 x 2,2 cm
Peso do produto: 540 g
Preço médio: entre R$23,90 a R$39,90 na amazon.com.br

O próximo a passar por aqui será Canções de Ninar de Auschwitz, romance emocionante baseado em uma história real!
Livro Canções de Ninar de Auschwitz

sábado, 29 de julho de 2017

Moriaty

Um guitarrista, um baterista, e uma mistura crua de indie rock com blues. O que pode ser o resultado? O resultado é Moriaty.

banda indie rock blues moriaty


Em atividade desde 2010, Jordan West, vocalista e guitarrista e Matthew Partridge baterista, tocaram juntos em algumas bandas esporadicamente, e em um festival de rock na Escócia se encontraram, combinaram de fazer um som e quando perceberam, deu certo.




Eles se auto-definem como um indie blues "sujo" e com letras sombrias e intelectuais, com o que chamam de "filthy indie blues". Com influências como Chuck Berry, Rage Against the Machine, Muse, Led Zeppelin, Hendrix, Johnny Cash, entre outros clássicos, a dupla tem um estilo bem barulhento, no bom sentido. Lançaram os EP’s, “The Lord Blackwood EP” “Never Too Heavy” e "Esperanza" além de dois singles, “Mindsweeper”, “Bones" e “Jealous MF” 7”, e o álbum "The Devil's Child". Em alguns trabalhos o Moriaty conta com a presença de Chris Wolstenholme, baixista da banda Muse e amigo dos caras. Apesar de Chris tocar com a dupla, o título de baixista ainda não é cogitado.

O som da dupla é pesado na medica certa, com um humor peculiar e empolgante e quando você menos espera está "requebrando" ao som de Jealous MF As guitarras sujas e vocal naturalmente largado de Jordan e o estilo barulhento do baterista Matthew fazem você ouvir as músicas repetidamente sem enjoar e rapidamente aprender a cantar. Agora dá play nos vídeos e na playlist!



sexta-feira, 28 de julho de 2017

Relacionamento Raiz X Relacionamento Nutella

Relacionamento, assim como tudo na vida, não é perfeito. Mas justamente essas imperfeições são o que faz se tornar único, divertido e confortável. Quando nos sentimos confortáveis para sermos imperfeitos com outra pessoa, e quando gostamos das imperfeições do outro é sinal de que o relacionamento vai bem, pois, afinal, somos amados por sermos nós mesmos. Então para descontrair com uma brincadeira que tem bem mais que um fundinho de verdade, me diga: você tem um Relacionamento Raiz ou Relacionamento Nutella?


casal brindando



Relacionamento Raiz

Um faz zoeira da cara do outro, debocha, faz coisas pra irritar
Ela acorda de cabelo todo despenteado na frente dele
Dormem de pijama velho, desbotado, esburacado
Em casa fica com roupa cheia de bolinhas de 7 anos atrás
Beija depois de comer feijoada, farofa, couve e chupar o osso da bisteca
Um come a comida do outro
Quando alguém fica bêbado o outro cuida
Os dois dividem a conta ou ela paga quando ele ta sem grana
Falam palavrão na frente um do outro
Tiram poucas fotos e aproveitam o máximo do rolê
Confiam um no outro
Dividem seus problemas, um sempre ajuda o outro
Comem porcaria o fim de semana inteiro
Netflix, barzinho, casa dos amigos
Soltam pum
Ele usa cueca velha quase sem elástico
Às vezes se desentendem, mas sempre resolvem conversando
Se amam diante de todas as imperfeições
Relacionamento Nutella

Se fizer zoeira fica de mal, chora, faz drama, guarda rancor
Acorda e corre pra lavar a cara e pentear o cabelo antes de ele ver
Ele de pijama xadrez azul e ela do Bob Esponja
Se arruma, passa maquiagem e perfume pra assistir TV
Escova os dentes com medo de pegar sapinho, come Trident
Cada um com seu miojo
Se ficar bêbado leva mais sermão que da mãe
Só ele paga, quando ele ta sem grana ela não quer sair
Se falar palavrão fica com vergonha
634755 fotos nas redes sociais e nem aproveitam
Fazem cagada e não contam
Cada um cuidando dos seus problemas sozinho
Jantarzinho fitness até no domingo
Cinema caro, balada chata, shopping
Seguram os puns até dar dor de barriga
Ele só usa cueca boxer branca
Quando brigam ficam com cara de tromba por 27 dias
Só amam quando ta bom

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Produtos BONS e BARATOS Para a Transição Capilar

O resultado de passar pela Transição Capilar é muito gratificante, recupera nossa auto-estima, traz mais personalidade à nossa imagem e muito mais praticidade ao nosso dia-a-dia. Mas como já falamos antes, é demorado e requer paciência, principalmente porque o cabelo vai, por muito tempo, se encontrar com duas ou mais texturas. É fundamental a escolha de produtos certos para o seu tipo de cabelo neste momento, e o que eu recomendo? Produtos para cabelos CACHEADOS! Então hoje vou indicar os produtos que maaaais gosto de usar e que me ajudam muito a controlar volume e textura!

Lavagem

Tudo começa na escolha do tipo certo do shampoo para o seu cabelo. Um dos shampoos que eu não abro mão é o Shampoo S.O.S Cachos de Coco da Salon Line (aliás, não abro mão da Salon Line to-di-nha!) O Shampoo de Coco foi desenvolvido especialmente para cabelos cacheados e crespos e desde a primeira lavagem percebi a diferença com relação a outros shampoos.

shampoo salon line cabelos cacheados transição capilar


  • Textura: suave, parece ser mais fino ou mais líquido que os demais shampoos, não faz muita espuma durante a lavagem, não tem sal e pode ser usado diariamente.
  • Resultados: proporciona bastante brilho e maciez aos cabelos.
  • Perfume: fragrância super suave, tão suave que no day after já acabou. Porém muito agradável, e isso é só um detalhe, os resultados são muito bons.
  • Preço: cerca de R$12,00

Shampoo #todecacho da Salon Line Pra Abalar. Também é um shampoo que ajuda muito na definição dos cachos e é mais indicado para cabelos com definição do 2a até 4c e também para cabelos em transição. 

shampoo salon line #todecacho para transição capilar


  • Textura: um pouco mais grosso do que o shampoo de coco, produz mais espuma na hora da lavagem e pode até ser usado em menor quantidade que o anterior. Também pode ser usado diariamente.
  • Resultados: proporciona maciez aos cabelos, porém, de acordo com as minhas experiências, o Shampoo de Coco dá mais brilho.
  • Perfume: fragrância levemente adocicada e um pouco mais duradoura que a do Shampoo de Coco,
  • Preço: Cerca de R$12,00

Hidratação

A hidratação é extremamente importante para os cabelos, principalmente para cacheados e crespos, pois a ondulação dificulta a distribuição da oleosidade ao longo dos fios, e o resultado pode ser ressecamento, pontas duplas e cabelos opacos. Dependendo do grau de ressecamento é necessário fazer a hidratação cerca de três vezes por semana, ou até diariamente.

Máscara S.O.S. Cachos Coco Hidratação Intensa é divino para os cabelos. Indicado para cacheados e crespos, é ideal para cabelos muito secos, fragilizados e opacos.  É perfeito para quem tem pressa, só precisa de 3 a 5 minutos nos cabelos antes de enxaguar.

mascara de hidratação para cabelos cacheados e em transição capilar


  • Textura: o creme é bem leve e parece até um pouco com um "mingauzinho", para quem está habituado com máscaras mais grossas pode achar estranho, mas não influencia nos resultados;
  • Resultados: o cabelo fica super macio, super brilhoso e justamente por ter uma textura mais leve que outras máscaras pode ser usado diariamente que não pesa nos fios e não deixa os cabelos oleosos. Eu já usei muuuuito essa máscara e é uma das melhores da marca que já experimentei!
  • Perfume: fragrância suave de coco, muito agradável;
  • Preço: Cerca de R$13,00, R$14,00.

A Máscara #todecacho Tratamento Pra Arrasar - Hidratação Poderosa também é muito boa, indicada para cabelos com texturas de 2a até 4c, para cabelos cacheados, crespos, crespíssimos ou em transição capilar. Também só precisa de 3 a 5 minutos nos cabelos para hidratar.

mascara de hidratação para cachos e transição capilar salon line


  • Textura: mais grossa que a máscara de Coco, ela fica mais firme para aplicar nos cabelos;
  • Resultados: hidrata, cumpre o que promete. Dá brilho aos cabelos e também auxilia na definição. Não é indicada para uso diário, cerca de duas vezes por semana são o suficiente para cabelos ressecados.
  • Perfume: bem, tem fragrância suave e agradável (chega a ser repetitivo, mas todos os produtos da Salon Line tem perfume leve, o que eu acho bom por não ser enjoativo)
  • Preço: cerca de R$16,00 a R$17,00.

Nutrição

A nutrição também é indispensável para os cabelos. Ela repõe nutrientes que os cabelos perdem com as agressões diárias como exposição ao sol e vento, a temperaturas elevadas como secador, chapinha e babyliss. A nutrição pode ser feita uma vez por semana nos cabelos quando muito ressecados, ou uma vez a cada duas semanas.

A Maionese Capilar #todecacho é excelente para nutrir os fios de forma prática e rápida. É chamada de Maionese por possuir proteínas do ovo e mix de óleos, hidratando os fios e nutrindo ao mesmo tempo. Fica de 3 a 5 minutos nos cabelos.

Maionese capilar Salon Line para nutrição de cabelos cacheados


  • Textura: não é muito grossa e dependendo da quantidade que você aplica ela tende a escorrer um pouquinho;
  • Resultados: desde o primeiro uso é possível notar uma boa diferença na definição dos cachos, maciez e também é doador de brilho;
  • Perfume: o perfume da máscara parece mais o de um doce, mas fica muito suave nos cabelos, não incomoda, na verdade você mal percebe rs;
  • Preço: entre R$17,00 e R$18,00

Condicionador

O condicionador tem que ser a chave de ouro, seja no processo de hidratação ou nutrição, ou simplesmente na lavagem diária. Deve ser usado após todo o procedimento, pois ele sela as cutículas dos fios e auxilia na finalização.

O condicionador da linha S.O.S. Cachos de Coco da Salon Line também é um dos meus produtos favoritos. Não tem foto dele aqui porque o meu já acabou e eu, distraída, joguei o frasco no lixo rs... Mas visualmente segue a mesma linha do shampoo e da máscara de hidratação.
  • Textura: seguindo o padrão da linha S.O.S Coco, textura leve, pode escorrer um pouco na hora da aplicação. Pode ser usado diariamente.
  • Resultados: muito brilho aos cabelos, maciez e leveza. Nota 10!
  • Perfume: suave perfume de coco que fica nos cabelos por horas após a lavagem;
  • Preço: entre R$12,00 e R$13,00.
O condicionador #todecacho Pra Abalar da Salon Line também se tornou um dos meus favoritos. Indicado para cabelos cacheados, crespos, crespíssimos ou em transição capilar, é uma super ajuda para a definição.

Condicionador Salon Line #todecacho Pra Abalar linha transição capilar


  • Textura: mais grosso que o anterior e mais firme na hora da aplicação. Também pode ser usado diariamente;
  • Resultados: auxilia na definição dos cachos e é excelente para desembaraçar. Também ajuda a controlar o volume. 
  • Perfume: levemente adocicado, suave.
  • Preço: entre R$11,00 e R$12,00.
Usando os produtos certos é muito mais fácil definir os cabelos e obter resultados mais satisfatórios, e para quem está em transição capilar, sabe como é difícil, muitas vezes, manter o pé firme e não voltar ao alisamento, pois tem dias em que os cabelos parecem não estar de bem conosco rs... Estes produtos eu usei e uso desde que comecei a passar pela transição, e os resultados são muito satisfatórios para os meus cachos com texturas que vão de 3a até 4a (muitas cacheadas tem várias texturas, mais pra frente vamos falar sobre isso também). 
No próximo post sobre transição capilar vou indicar produtos para finalização, então acompanhem o blog, vai ter creme pra pentear, ativador de cachos, reparador de pontas, tudo pra deixar os cachos ainda mais bonitos!
*Não houve remuneração para indicar estes produtos.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Tempo É Dinheiro

Tempo É Dinheiro é mais uma grande obra escrita por Lionel Shriver, autora de Precisamos Falar Sobre o Kevin, um dos livros mais impactantes, comoventes, bem construídos e marcantes que já li. Lionel é brilhante, e é o tipo de escritora que você vai comprar todos os livros após uma primeira leitura sem se importar em ler a sinopse, pois sabe que todos os trabalhos devem ser no mínimo ótimos.


Livros Lionel Shriver Tempo é Dinheiro
Tempo é Dinheiro



Tempo É Dinheiro, assim como as demais obras de Lionel Shriver nos leva a viver a história, nos transporta para aquela realidade que, em entrelinhas, está muito próxima da nossa. A obra nos traz a história de Sheperd Armstrong Knacker, cidadão americano, possuidor de um bom patrimônio construído com o esforço do seu trabalho ao longo dos anos. Shep era empresário, e querendo ter uma vida mais tranquila decidiu vender sua empresa e trabalhar por alguns anos até poder se aposentar. Casado com Glynis, uma artista plástica sem muito sucesso na carreira, ele sonha em ir morar (com ou sem a família) na região de Pemba, na África. Quando está prestes a conseguir o que tanto deseja, descobre que Glynis tem um tipo de câncer raro, ao mesmo tempo que seu pai, idoso, precisa de cuidados especiais para tarefas simples do dia-a-dia. Shep tem que adiar seus planos para cuidar da esposa e dar assistência ao pai. Sendo um homem de caráter aparentemente inabalável, é apaixonado por sua esposa e preocupado com a família e não medirá esforços para ver tudo dando certo. Porém, os esforços vão exigir muito mais do que ele imagina.
O livro passa longe de ser uma história de luta e superação com um final feliz, e também de ter um final trágico. Além de um romance surpreendente e envolvente é uma crítica voraz ao sistema de saúde privado americano, que tira milhares de dólares de pacientes com doenças graves e ao sistema de saúde pública, que deixa os seus dependentes à mercê da sorte. Shriver escreve com propriedade e uma vivacidade incrível, a forma como desnuda os pensamentos e sentimentos íntimos dos personagens, ela sabe como nos levar a uma outra realidade como se aquelas pessoas fossem reais e as conhecêssemos. Lionel tem um estilo único de escrita, é sarcástica, realista, forte, sensível, como se já tivesse, de fato, vivido todas as experiências de seus personagens. É evidente que possui uma visão diferenciada sobre a vida, e isso a torna uma escritora excepcional.

Informações:
Capa comum: 448 páginas
Editora: Intrínseca
Dimensões do produto: 22,9 x 16 x 2,5 cm
Peso do produto: 640 g
Preço médio: entre R$22,90 a R$39,90 (preços consultados na data da postagem) na 
amazon.com

O próximo livro a passar por aqui vai ser "A Nova República", também da Lionel ;)
A Nova República Lionel Shriver
A Nova República


quinta-feira, 20 de julho de 2017

Relacionamentos Desgastados

Uma das melhores coisas da vida é ter um amor. É verdade, quando estamos amando e somos amados até a forma como enxergamos as coisas, mesmo as pequenas, se torna especial. E ter um relacionamento com alguém deve ser gostoso, leve, espontâneo. Porém, infelizmente, muitos casais com o passar do tempo perdem essa leveza e o relacionamento passa a ter mais momentos de estresse e tristezas do que momentos felizes. Essa situação é muito comum e muitos casais passam por relacionamentos desgastados, mas muita gente não percebe que está vivendo um desgaste ou o que é pior, não aceita que esteja acontecendo. 

Sombra de casal sentado de costas um para o outro


Claro que quando amamos alguém vamos nos esforçar para superar os momentos ruins, e o amor é também companheiro das horas ruins. Somos diferentes e imperfeitos, e saber lidar com as diferenças e imperfeições do outro pode não ser tão fácil quanto parece. É preciso conhecer a pessoa amada para compreender suas diferenças e imperfeições, e quando compreendemos, é muito mais fácil nos adaptarmos ao outro. Quando amamos alguém, não precisamos que essa pessoa mude seus defeitos, e sim aprendemos a nos adaptar a eles, pois sabemos que são coisas pequenas, e não podemos mudar as outras pessoas, somos responsáveis apenas por nossas mudanças. É normal que hajam desentendimentos, pois cada indivíduo pensa com a própria cabeça e cada um tem a sua percepção, visão, opinião e reação perante as coisas, mas os desentendimentos precisam ser resolvidos e sem mágoas. Quando esses desentendimentos passam a se tornar maiores do que a paz no relacionamento, é alerta de perigo! É assim que começa a desgastar uma relação amorosa. E o amor, assim como todas as coisas na vida, precisa ser alimentado diariamente. Vamos dizer que você se alimente bem, coma verduras, frutas, evite gorduras, beba bastante água. Você está se alimentando bem e fazendo bem ao seu corpo. Mas se você se alimenta com frituras, não consome fontes de vitaminas, consome gorduras, muito sal, seu corpo, com o passar do tempo, vai sentir os efeitos negativos. Com o relacionamento, funciona da mesma forma, se você alimenta o seu relacionamento de coisas boas ele vai ser feliz, se você alimentar de coisas ruins, o resultado vai ser ruim. 

E agora, como reconhecer que o relacionamento está desgastado? 
Quando as brigas se tornam maiores e mais frequentes que os momentos felizes. Quando os dois terminam e voltam com frequência e isso já se tornou tão normal que os dois sequer ficam tristes com a situação. Quando não existe mais confiança e qualquer coisa o leva a pensar que está sendo traído, que vai ser traído. Quando os dois não tem mais paciência um com o outro e parece que não falam a mesma língua. Quando passar o tempo juntos já não é tão bom. São coisas que aos poucos se instalam e se tornam imperceptíveis sem uma análise dos fatos. 

Por que o relacionamento está desgastado?
As brigas, além de trazer um super clima ruim para o casal, na maioria das vezes não são totalmente resolvidas, o que não foi resolvido fica guardado dentro de uma "caixinha" e quando você abre para procurar algo, você acha o que estava procurando e o que ficou guardado. As pessoas dizem coisas que não querem dizer quando estão nervosas e nós, mesmo sabendo disso, muitas vezes podemos nos deixar- irracionalmente - levar por isso e guardar mágoas. As pessoas são diferentes e suas ações, seu jeito de ser, de falar, sua forma de pensar, podem em alguns casos nos magoar, nos atingir, nos ofender, e se guardarmos essas coisas dentro de nós, é com certeza mais uma situação que leva ao desgaste. A traição, que muitos casais perdoam (acham que perdoam) mas sempre vem à tona em qualquer momento de desentendimento. 

O que fazer em um relacionamento desgastado?
É preciso conversar. Durante uma briga dificilmente vai ser resolvido o problema, então deixe para um outro dia mais calmo ou para outra hora, e converse, porque a nossa percepção não é igual a de ninguém, cada pessoa é individual, e muitas vezes o que entendemos não é o que nos foi dito, e muitas vezes o que dizemos não é o que pensamos. Conversando e pensando com calma podemos resolver quase tudo. É preciso se expressar com clareza, dizer o que não gostou, sem atingir ao próximo, pois assim como ele, você também erra. É preciso deixar claro o que lhe incomoda, somente assim o assunto pode ser tratado direto no X da questão.É preciso se colocar no lugar do seu companheiro. Todos temos uma história de vida, relacionamentos anteriores, todos aprendemos e absorvemos coisas de situações diferentes, e cada pessoa reage de uma forma. Antes de julgar é preciso entender, talvez, porque o seu companheiro agiu de tal forma. E como cada pessoa pensa de uma forma e tem a sua percepção, o melhor é perguntar a ele, somente ele vai ser capaz de te dizer o que pensa. Saiba perdoar. Perdoar não quer dizer que o outro pode fazer o que ele bem entender e você vai aceitar tudo, mesmo porque você tem os seus valores também, assim como ele tem os dele, e o discernimento na hora de perdoar é importante para não deixar que a situação saia do controle. Mas quando for preciso e quando for justo, perdoe. Enxergue o seu amor. Veja as coisas boas que ele faz por você, por outras pessoas, veja as qualidades dele, relembre os bons momentos. Lembre-se de porque você o ama e porque se apaixonou. Plante o amor, e regue a cada dia. Elogie seu amor pelas coisas boas que ele faz, e não só por você, mas por ele, pelas suas qualidades, faça ele perceber o quanto você o admira, o quanto ele é importante para você. Diga o quanto você gosta dele(a). Todo mundo gosta de se sentir amado e importante, e coisas simples como um café na cama, um chocolate, uma mensagem de bom dia, fazem a pessoa perceber que você estava pensando nela. Faça tudo com sinceridade, não precisa ser exatamente as mesmas coisas, mas o que você gosta de fazer por ele(a). 

Por que continuar em um relacionamento desgastado?
Um relacionamento que está desgastado não está, fatalmente fadado ao fracasso. Pelo contrário, muitas vezes se trata de uma fase ruim que pode ser superada, e quando superada, é como se o relacionamento fosse blindado, os dois amadurecem juntos e aprendem a passar por diversas situações sem perder a essência boa que os faz feliz e que os une. Mas em muitos casos, os casais já tentaram muitas soluções, ou não conseguem se adaptar ao outro, não conseguem perdoar, não conseguem esquecer, não conseguem ter paz um com o outro. Neste caso é necessário avaliar a situação, pois o relacionamento que traz mais dor e sofrimento do que felicidade tem algo de muito errado, e ninguém se relaciona para sofrer, pelo contrário, nos relacionamos com alguém para sermos felizes e fazermos esta pessoa feliz também, então é preciso repensar. Talvez não seja necessário colocar um ponto final, mas se os problemas continuam, então é preciso entender a raiz desse desgaste, e isso somente com conversa e paciência. 
Espero que possa ajudar e que vocês gostem do post, e sintam-se a vontade para compartilhar, marcar, comentar e dividir aprendizado conosco. Beijos no coração 😘

quarta-feira, 19 de julho de 2017

A Guerra Não Tem Rosto de Mulher

Mais um livro ótimo, cheio de história, cheio de emoção, mais um choque de realidade. A Guerra Não Tem Rosto de Mulher, de Svetlana Aleksiévitch, ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura de 2015, é uma obra tocante e inesquecível, que nos traz relatos de mulheres sobreviventes à Segunda Guerra Mundial. 

Livro A Guerra Não Tem Rosto de Mulher de Svetlana Aleksiévitch
A Guerra Não Tem Rosto de Mulher


A obra é emocionante do início ao fim, e muito mais do que um livro que nos conta uma história sobre guerra, expõe relatos de quem realmente soube o que era a guerra. Foram quase um milhão de mulheres que lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra. Mulheres que perderam sua adolescência, que perderam seus sonhos, que perderam seus amores, mas que também lutaram por suas vidas, pelos seus sonhos e por seus amores. Tiradas de suas vidas pacatas, e outras que escolheram seus destinos para trabalharem em campos de batalha como verdadeiras heroínas, eram recrutadas enfermeiras, cozinheiras, vigias, mensageiras. As mulheres que se vestiam como homens, deixavam de lado a sua vaidade, deixavam de lado as tranças e penteados elegantes e raspavam os cabelos, trocavam os vestidos românticos por uniformes militares. Os delicados sapatos clássicos de saltos por coturnos desconfortáveis e de tamanhos enormes, que muitas vezes causavam bolhas e sangramentos nos pés. Como objetos aparentemente insignificantes como um simples laço de fita tinha o poder de as emocionar, de as fazer perceber que não deixaram de ser mulheres. Essas mulheres nos contam a história do que elas viveram e vivenciaram. Os seus sentimentos com relação à guerra, aos seus entes queridos que desapareceram, que se foram. As histórias que vivenciaram e presenciaram. Histórias de dor, de sub sobrevivência, de perdas e histórias de amor, de esperança, de luta, de vitórias, de garra e de força. 
Mais uma vez o trabalho de Svetlana nos dá a visão além do prático, do teórico, do básico e nos leva a perceber o quanto ignoramos sobre história e principalmente, sobre lições de vida. Pode colocar na sua lista: leitura OBRIGATÓRIA! 

Informações:
Capa comum: 392 páginas
Editora: Companhia das Letras; 
Dimensões do produto: 20,8 x 13,8 x 2,6 cm
Preço médio: entre R$30,00 a R$49,90 na amazon.com.br

E o próximo a passar por aqui vai ser "Tempo É Dinheiro" de Lionel Shriver!

sexta-feira, 14 de julho de 2017

The Get Down

Uma daquelas séries que faz você se envolver, gostar dos personagens e em muitos momentos é como se vivesse a realidade deles, e compreendesse a vida deles. The Get Down não pode faltar na sua lista de favoritas!

Jovens MCs e Dj série The Get Down Netflix
Os meninos do The Get Down mandando um som!


A série produzida pela Netflix conta a história de 4 jovens amigos que sonham em se tornarem Mc's, um jovem que sonha em ser Dj e uma jovem garota que canta músicas religiosas, com uma voz encantadora, que sonha com fama e sucesso. Primeiramente o que posso dizer é que The Get Down é DEMAIS! Super bem produzida, se passa na década de 70 quando o RAP estava emergindo e o Disco Music fazendo sucesso. Na região periférica do South Bronx, em Nova Iorque, Estados Unidos, os jovens amigos Ezekiel "Zeke" Figuero (Justice Smith), Ra-Ra Kipling (Skylan Brooks), Marcus "Dizzee" Kipling (Jaden Smith) e Boo-Boo Kipling (T. J. Brown Jr.) cruzam seus caminhos com o aspirante a Dj Shaolin Fantastic (Shameik Moore), o que resulta numa explosão musical talentosa e original. Ao mesmo tempo Mylene Cruz (Herizen F. Guardiola), a amada namorada de Zeke, percebe que sua voz é mais poderosa do que imaginava e já não quer mais seguir os passos do pai e continuar cantando com o coral da igreja. 

Mylene Cruz cantando na igreja em The Get Down
Mylene Cruz, da igreja para o Disco Music.


The Get Down não é só mais uma história musical bonitinha que fala em persistir nos seus sonhos, mas mostra a realidade de jovens que cresceram e vivem em uma região abandonada pelas autoridades, tendo que decidir qual caminho seguir em meio a destinos fáceis e cruéis como o das drogas e do crime. Os meninos têm de lutar pelos seus sonhos ao mesmo tempo em que fazem suas escolhas em se tornarem homens de bem e ganhar seu próprio dinheiro com o seu trabalho, ou mudar de vida e deixar a pobreza pelo caminho mais curto. Mylene sonha em se tornar uma estrela, mas para isso ela terá que enfrentar ao pai, extremamente religioso e ver a desestruturação de sua família acontecer. A um primeiro momento pode lembrar a "Todo Mundo Odeia o Chris" com o cenário do Bronx e famílias negras e porto-riquenhas, mas mostra muito além do lado cômico, e você vê a sujeira nas ruas, as brigas entre vizinhos, os trens e infinitos muros sujos e pichados e a dura realidade de uma parte da sociedade que foi deixada para trás. A exposição dessa dura realidade torna a série mais cativante. 

meninos próximo a pichações the get down netflix
A "beleza" do Bronx em The Get Down


Sim, a senhora Netflix cancelou a série, mas ainda assim vale muuuuito assistir, e embora tenha sido cancelada, não termina sem pé nem cabeça e já nos dá uma ideia do destino de cada um. A primeira (e única) temporada é composta por duas partes (a primeira com 6 episódios e a segunda com 5) como um antes e depois, os episódios tem pouco mais de 50 minutos e em um final de semana é possível assistir todos. Só controle a tristeza depois, porque é difícil não se apegar aos personagens e sua história, mesmo que seja só um pouquinho. 

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Crobot

Hoje é Dia do Rock! O rock and roll é tão especial, tão único, tão contagiante e tão eterno que merece um dia só pra ele! O Dia do Rock surgiu em 13/07/1985 como evento Live Aid, que ocorreu simultaneamente na Filadelphia, Estados Unidos, e Londres, Inglaterra, com o objetivo de conscientizar a população mundial sobre a pobreza na Etiópia. Quantas vezes escutei que meu gosto musical era "só uma fase"? Perdi as contas. Mas é disso que eu gosto e há mais de 15 anos venho sendo fiel aos meus ídolos musicais. Sim, já tentei escutar outros estilos mas é o rock and roll que me toca, é Stairway To Heaven que sempre me arrepia, I Don't Wanna Miss A Thing que me emociona, Twist And Shout que me faz dançar, Santa Madre Cassino que me faz pular! O rock tem atitude, tem melodia, tem sonoridade, tem voz, tem emoção, rock and roll é imortal! E para celebrar este dia especial, a minha dica hoje é a super-banda Crobot!

Banda de hard rock, glam rock Crobot
Os super-roqueiros do Crobot!


Uma das minhas melhores "descobertas musicais" em 2017, a banda toca em grande estilo, relembrando ao Hard Rock, Glam, lembra um pouco a bandas como Rage Against The Machine e Faith No More. Formada em Pottsville, Pennsylvania, Estados Unidos, por Brandon Yeagley (vocalista) Chris Bishop (guitarrista e vocal) e os irmãos Jake Figueroa (baixo) e Paul Figueroa (bateria), a banda Crobot existe desde 2011 e tem três discos gravados: Legend Of The Spaceborne Killer (2012), Something Supernatural (2014) e Welcome To Fat City (2016). Os caras tocam com guitarras estridentes, muita presença de baixo, bateria avassaladora e a voz inconfundível de Brandon Yeagley.

disco Legend Of The Spaceborne Killer (2012) banda Crobot
Legend Of The Spaceborne Killer (2012)


disco Something Supernatural (2014) banda Crobot
Something Supernatural (2014) 



disco Welcome To Fat City (2016) da banda Crobot
Welcome To Fat City (2016)


Os três discos são sensacionais, portanto, não vou indicar um em específico pois fico completamente indecisa, e sim montei uma playlist com as melhores (se é que posso dizer que existem melhores) músicas da banda. Agora o vídeoclip de Nowhere To Hide! E na playlist você confere mais do som dos caras! É só clicar ao lado >



Feliz dia do Rock! \m/

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Eu Escolhi Transição Capilar!

Hoje vou falar sobre algo que está literalmente mexendo com a cabeça das mulheres: Transição Capilar! Quero aprofundar bastante neste assunto, e espero que dessa forma possa ajudar as meninas que querem ou estão passando também pela transição, porém o post de hoje vai falar de porquê eu escolhi passar pela transição. 

mulheres de etnia negra com cabelos diferentes lisos e cacheados


Primeiro, quero parabenizar a quem teve essa iniciativa, porque olha, tem momentos em que não é fácil e dá vontade de voltar correndo para a progressiva. Mas os "momentos de fraqueza" são raros e logo passam. Eu decidi, depois de anos sendo fiel à escova progressiva e escrava da chapinha, que me gosto mais assim e não quero abrir mão da praticidade que conquistei para o meu dia-a-dia. O que me fez, então, depois de cinco ou seis anos de alisamento, optar pela transição capilar? Foram vários fatores, mas a iniciativa ocorreu por acaso. Uma história até engraçada, mas em um belo dia lavei os cabelos antes de ir trabalhar e assim que saí do banho, acabou a energia elétrica. Ou seja, sem secador, sem chapinha. Muitas pessoas me perguntam porque eu ainda usava chapinha fazendo escova progressiva, mas para quem tem o cabelo beeem cacheado como o meu, somente a escova progressiva NÃO ALISA DEFINITIVAMENTE, com o tempo a química sai dos cabelos e ele volta a ondular. Logo, após umas 6 a 8 semanas, para ter os cabelos lisos é preciso o auxílio dos utensílios. Pois bem, sem os meus "itens de sobrevivência" eu precisei sair com os cabelos "como vim ao mundo". Eis que secaram ao natural, e após uns 2 meses depois da última química, os cachos se fizeram aparecer, após é claro, algumas "apalpadas". O resultado foram muitos elogios e uma aparência totalmente diferente do que eu estava acostumada. No começo foi difícil me acostumar, eu não me via bonita da mesma forma, estava acostumada com uma imagem totalmente diferente. Mas confesso que tantas pessoas dizendo que eu estava mais bonita, com mais estilo, com mais personalidade, que combinava mais com meu rosto, enfim, depois de muitos elogios eu passei a gostar. E na verdade, hoje acredito sim que estou mais bonita que antes e com mais personalidade. Mas não somente por me sentir mais bonita, me sinto mais livre, mais confortável, não preciso mais a cada meia-hora conferir a situação dos meus cabelos com um espelho porque sei que os cachos estão lá. E muitas pessoas falam que o cabelo mais liso é mais fácil para cuidar, e é sim: para quem nasceu com os cabelos lisos! Porque do contrário você vai ter bem mais trabalho! Entre as vantagens do meu cabelo cacheado, eu posso citar que é muito mais fácil de cuidar, eu só preciso lavar, não preciso me preocupar em secar e usar chapinha pra alisar as mechas onduladas; é só usar alguns produtinhos (o que todo mundo usa) e pronto! Já estou pronta! Não preciso secar, posso sair com os cabelos molhados na hora da pressa, não preciso me preocupar com os fios rebeldes e dias chuvosos, tenho um gasto menor, já que não tenho mais os gastos com escova progressiva e para mim que vou para a academia todos os dias é uma bênção! Um grande problema para quem alisa os cabelos e está sempre na academia é aquela raiz que após 10 minutos de treino começa a enrolar enquanto o restante dos cabelos fica "liso". Posso lavar os cabelos o quanto quiser! 

mulher secando os cabelos
😓😓😓😓

O objetivo desse post não é convencer a todas as adeptas do alisamento a desistirem e iniciarem a transição capilar, mesmo porque é algo que tem que querer, ter paciência e também requer cuidado. E temos que usar nossos cabelinhos da forma em que nos sentirmos melhor. Mas para quem tem vontade de fazer e está em dúvida ou acha que não vai conseguir, vale a pena tentar. Só pela praticidade que traz para nossas vidas, óh céus, como vale a pena!
E no próximo post vou dar dicas para quem quer fazer a transição de produtos  que eu uso e que são meus heróis capilares!
Um beijão e até a próxima :*


terça-feira, 11 de julho de 2017

Vozes de Tchernóbil

Vozes de Tchernóbil é um livro para sairmos da nossa zona de conforto. Para nos fazer enxergar além do que nos foi mostrado, ensinado. Um exemplo de como aprendemos história de uma maneira sutil, de como nos fazem pensar que uma realidade caótica muitas vezes pode ser dada como normal, mesmo sendo muito mais obscura do que sequer consigamos pensar.

livro vozes de tchernóbil de svetlana aleksiévitch
Vozes de Tchernóbil, Svetlana Aleksiévitch

Obra de Svetlana Aleksiévitch, escritora e jornalista bielorrussa, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura 2015. Suas obras abordam histórias de homens e mulheres soviéticos e pós soviéticos, a partir do ponto de vista mais realista: o de quem viveu todo o sofrimento. Estamos acostumados a ler de forma técnica, prática, superficial sobre grandes desastres, tragédias e guerras que fazem parte da história, mas Svetlana dá voz aos sobreviventes, e expõe da maneira mais íntima possível, nos fazendo perceber a humanidade por trás dos fatos. O tão conhecido desastre nuclear de Chernobil, ocorrido em 1986, na cidade de Pripyat, Ucrânia - região pertencente à antiga União Soviética - deixa uma enorme quantidade de partículas radioativas na atmosfera. O solo é contaminado, a água, os alimentos, roupas. As pessoas são contaminadas. Alguns morrem rapidamente, outros sofrem com os efeitos da radiação a longo prazo, com doenças respiratórias, cardíacas, tumores, mutações. Soldados, trabalhadores e cientistas são enviados ao local do desastre como se suas vidas não valessem mais do que interesses políticos e econômicos. O livro é construído a partir do relato dos sobreviventes: homens e mulheres, jovens e idosos, trabalhadores, viúvas, esposas, sem alterações nos monólogos, revelando toda a monstruosidade do maior desastre nuclear da história. 
É verdade, é muito diferente do que a maioria das pessoas costuma ler, mas por ser tão impressionante, realista, transparente, é um livro muito marcante, e vai ser impossível não se interessar por outros livros da autora. Com certeza é uma das obras mais fortes que eu já tive o prazer de ler.

Capa comum: 384 páginas
Editora: Companhia das Letras
Dimensões do produto: 21 x 13,6 x 2,4 cm
Preço médio: entre R$39,00 e R$49,90 na www.amazon.com.br

A próxima dica a passar por aqui vai ser "A Guerra Não Tem Rosto de Mulher", também da Svetlana. ;)