Misto Quente

Charles Bukowski nasceu na Alemanha em agosto de 1920. Seu pai era soldado e americano e sua mãe era alemã. Aos três anos de idade a família o levou para os Estados Unidos, onde cresceu e morou por cinquenta anos, em Los Angeles. De família pobre, os principais passatempos de Bukowski eram escrever e beber. Aos 24 anos publicou seu primeiro conto. Foi muitas vezes internado devido à complicações pelo abuso de álcool e cigarros. Morreu vítima de pneumonia aos 73 anos de idade.

Charles Bukowski
"Algumas pessoas nunca enlouquecem. Que vidas horríveis elas devem viver."

Sobre Misto Quente


Irônico, escancarado, sincero, realista, nu e cru. Este é Bukowski. Diferente de tudo o que já li, nenhum outro autor seguindo a linha "esculachado" pôde me cativar tanto quanto Bukowski. Misto Quente conta a história de Henry Chinaski, garoto pobre de família alemã, imigrantes na época da Segunda Guera Mundial. Henry não tinha amor por ninguém. O pai de Henry tinha um temperamento agressivo, impaciente, quase sempre bêbado. A mãe parecia não viver neste mundo, sempre alheia ao que acontece. A trajetória de Henry é contada desde sua infância até sua vida adulta quando ele sai da casa dos pais passando por todos os principais acontecimentos: as surras do pai e seus sentimentos de ódio, raiva e desprezo, o seu isolamento da família, o início da sua vida escolar, as primeiras amizades com outros garotos, as brigas nas quais se envolveu, os primeiros contatos com garotas, o primeiro porre, o contato com R.O.T.C. (um órgão semelhante ao nosso exército) e a possibilidade de servir ao exército, sua entrada na faculdade. 

Misto Quente

Minha Opinião Sobre Misto Quente


A forma como é narrada a história de Henry Chinaski é escancarada, despudorada, e Henry é o centro do mundo na narrativa, seus sentimentos e pensamentos são expostos como em uma feira livre: a forma agressiva e completamente sexual como tratava as mulheres por quem sentia algum tipo de atração física, a maneira como se isolava das outras pessoas, a indiferença com que lidava com os problemas de sua vida, muitas vezes sua solução era beber, dormir ou escrever. Vemos em Henry Chinaski um ser humano vazio, agressivo com todos, desiludido, características que são consequências de seu relacionamento com seus pais e que com o passar do tempo foram se agravando.

Para compreender Bukoswski é preciso deixar de lado todo o moralismo e abrir os olhos e a mente para a realidade dura que ele nos mostra, pois além de ser uma leitura um pouco pesada devido aos acontecimentos da narrativa há palavrões para todos os lados, e os mais conservadores podem não entender a verdadeira intenção por trás disso que é ser realista e impactante. Misto Quente foi tido para muitos como uma autobiografia pois muitos fatos narrados se assemelham à vida do autor: as bebedeiras, o fato de Henry se achar sempre feio e não ter sucesso com as mulheres, a paixão por escrever. Ler Misto Quente me despertou o interesse e curiosidade por outras obras do autor, e para quem gosta da boa e velha dose de realidade e histórias sem finais felizes é mais que um prato cheio.
Impresso pela editora L&PM, tem 316 páginas.

Comentários