domingo, 30 de outubro de 2016

A Guerra Das Salamandras

Livro A Guerra Das Salamandras
A Guerra das Salamandras é um dos livros mais divertidos que já li! Trata-se de um romance-ficção, aventura e clássico de autoria de Karel Capek, escrito em 1936. A história começa quando o capitão do barco Kandong Bandoeng, J. Van Toch descobre uma ilha chamada Devil Bay. Os nativos desta ilha tem medo de uma espécie de salamandra desconhecida, da qual chamam de "diabos". Estas salamandras traziam consigo ostras, que eram o seu alimento preferido, porém não conseguiam abri-las, devido ao fato de suas patas serem muito pequenas. Em troca de abrirem suas ostras, as salamandras oferecem pérolas ao capitão, e com o passar dos dias, J. Van Toch percebe que estes animais possuem inteligência excepcional, e incrivelmente sabem falar. Decide usar dessa inteligência como uma nova força de trabalho, explorando-as, e em troca oferece ferramentas para o trabalho e proteção contra predadores. As salamandras são transportadas para outros continentes, e algumas são expostas como atração em circos. Tudo parece estar sob controle, até que cada vez mais as salamandras desenvolvem sua inteligência e passam a ser mais exigentes. Os animais aprendem a negociar e fundam o seu próprio sindicato, sob o comando da salamandra Andrias Scheuchzeri. Surpreendentemente, as salamandras passam a ser cruéis e poderosas, e voltam-se contra a raça humana. A história é bem construída em 334 páginas e 3 partes: PRIMEIRO LIVRO: ANDRIAS SCHEUCHZERI, SEGUNDO LIVRO: O PROGRESSO DA CIVILIZAÇÃO e TERCEIRO LIVRO: A GUERRA DAS SALAMANDRAS. Além de ser uma leitura empolgante e envolvente, é uma crítica à situação política européia na década de 1930, à guerra pelo poder e à ganância humana. Quando você menos esperar, já terminou o livro! Super recomendo! 

sábado, 22 de outubro de 2016

Sobre Relacionamentos Descartáveis



Por incontáveis vezes durante minha vida escutei que "o que vem fácil, vai fácil" e sempre concordei com isso. E nos dias de hoje, uma das coisas mais fáceis é conhecer pessoas. Existem dúzias de aplicativos e sites para conhecer pessoas, e são pessoas que passam por nós nas ruas diariamente, que trabalham perto ou na mesma empresa, que estudam na mesma universidade, que moram na rua ao lado, que tem família, amigos, cachorro, que sangram, choram, e respiram como você e eu. São pessoas que tem história, que carregam um passado com erros e aprendizados, como você e eu. Que sentem, como você e eu. Mas a facilidade em se relacionar com alguém banaliza a essência, esconde o interior. As pessoas se enxergam como opções, e tem sempre aquela "reserva": se "A" não der certo, tem o plano "B". E assim acabam perdendo oportunidades, e perdem momentos, perdem o melhor que o outro tem a oferecer. Perdem os presentes que a vida pode trazer nas coisas simples por olhar as pessoas por fora. A sede de provar todas as opções para escolher a melhor não te deixa ficar com nenhuma, a forma racional da qual as pessoas agem não permite que se plantem sementes e então não se colhem frutos. Será isso medo? Medo de sofrer por algo, de levar um pé na bunda, de se decepcionar, de se arrepender? Medo do que pode acontecer lá na frente? Mas e o que está acontecendo agora, não importa? As pessoas se enganam pensando e dizendo que querem compromisso, mas ao primeiro sinal de apego, fogem. Ao primeiro sinal de que algo não está como o esperado, de que a opção "A" não gosta do mesmo filme que você, já vem o pensamento "não vai dar certo", e descartar uma pessoa com quem você não criou um vínculo é muito mais fácil. Você já se pegou pensando "estamos nos vendo demais, hoje vou dizer que tenho compromisso", ou "acho que não vai dar em nada, vou procurar outra pessoa"? Claro, você pode procurar outra pessoa, mas fazer isso somente porque você dispensou alguém ou foi dispensado, ou simplesmente porque acha que o fulano não serve e não quer ficar sozinho, é legal? Não, e não funciona, porque quando você não precisar mais de consolo vai dispensar a pessoa da mesma forma que fez antes, e vai continuar em um ciclo de início e fim sem meio. Você pode escolher não estar com o Fulano, mas se vocês estão se vendo com frequência não é sinal de que algo está indo bem? E se está indo bem, não é melhor aproveitar para estar com alguém que te faz bem, pelo menos por algumas horas? 
Vamos esquecer da facilidade! É fácil ter 10, 15, 20 "opções" para você sair e ter uma transa fácil, pra salvar o final de semana em que você não tinha planos, pra adiar a sua carência, mas e depois que acaba? Você se vê onde tudo começou, pensando em qual vai ser a próxima batalha e recompensa, com o mesmo sorriso no rosto para conquistar e acertar quantos alvos você quiser, mas com o mesmo vazio no peito. Vamos olhar as pessoas nos olhos, e nos interessar pelo que elas têm a nos ensinar, pelo seu passado, pelas suas fraquezas, pelas coisas boas. Se você não se dá a chance não vai conhecer ninguém como realmente a pessoa é. E quantas vezes você conheceu alguém legal e não se envolveu? Acontece que o tempo passa e uma hora essa pessoa legal encontrou alguém que também é legal. Você teve sua chance. Se não der certo, a vida continua, mas você sabe que não deixou de se permitir. E o que não nos mata de amor, nos fortalece. 

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Adote Um Amigo!

Este cachorrinho da foto é o Neguinho. Ele é meu neném. Antes de falar sobre o assunto principal, quero confessar alguns fatos sobre o Neguinho, pois assim ficará mais fácil para as pessoas entenderem porque eu resolvi abordar este tema.

vira-latas


O Neguinho é um cachorrinho idoso, ele já tem mais de 10 anos, e está comigo e com nossa família desde o dia que nasceu. A sua mamãezinha era de raça poodle e o papaizinho dele sem raça definida, e ele é a cara do pai. Ele é parte da família, dorme onde quer, não gosta de sair para a rua, e não liga a mínima para os gatos da vizinhança. Quando eu chego em casa todos os dias, me espera no topo da escada pra me dar "oi", me olhando com aqueles olhos enormes que parecem duas bolas de gude negras, balançando o rabinho, e quando eu me abaixo pra responder o "oi", ele abaixa a cabeça para receber carinho. Também atende pelos apelidos carinhosos de gordo, gordinho, neném e titinho. Gosta de comer brócolis, batata-doce, maçã e quando vê um pedaço de mandioca cozida seus olhos brilham mais do que o normal. Ele é muito guloso, não pode ver ninguém comendo nada, e sempre me arranha pra pedir comida. Não é muito obediente, não faz nada do que eu mando, nada do que ninguém manda, na verdade ele pensa que é o dono da casa e que nós somos os seus servos: para trazer comida, água, dar carinho, dar banho... Mas é muito bonzinho, toma banho todos os domingos sem fazer mal-criação, quando precisa ficar em casa sozinho não rasga os sofás e não faz sujeira onde não pode. Agora... Quando era um filhote, tínhamos que amarrar as roupas no varal, literalmente, porque ele pensava que podia fazer o que quisesse com elas. Deve ter estragado umas duas ou vinte peças, mas eu nunca fiquei brava com ele. Não gosta que lhe mostrem a língua, fica com medo e resmunga. Gosta de dormir na minha cama, mas é espaçoso demais, inclusive não sei como um cachorro desse tamanho pode ocupar tanto espaço, acho que ele se dilata quando deita. Mas eu gosto que ele durma na minha cama, gosto que me arranhe, gosto até quando ele toma todo o espaço, porque é isso o que os cães fazem. Quando eu brinco com ele, quase sempre fico me perguntando como é possível amar um ser que nem pode falar. Mas ele não precisa falar, diz tudo o que precisa quando deita em cima da minha perna com toda a segurança e calma que ele sabe expressar, ou quando me espera no topo da escada. Muitas vezes penso em quanto tempo ele ainda vai ficar comigo, quando olho para a pelagem dele que parece ficar cada dia mais branca. Tenho medo do dia em que esse tempo vai se esgotar, mas me engano dizendo que esse dia nunca vai chegar. Eu só tenho a agradecer por ter um amiguinho tão fiel e bonzinho.
Quando uma pessoa pensa em ter um animal de estimação, ela tem que se perguntar o porquê disso. Se alguém pensa em ter um animal para proteger a casa, para mostrar para as pessoas que tem um animal de raça, para matar ratos, para assustar ladrão, melhor não ter. Um animal de estimação é alguém da família, eles nos amam da forma mais pura que existe. Ele vai envelhecer e não vai ter a mesma disposição de antes, e nem a mesma saúde. Você vai ter que se dedicar mais, ter mais paciência, vai ter mais gastos com veterinário e remédios. Muitas pessoas quando compram um animalzinho, ou mesmo adotam, se esquecem desses fatos, e quando o animal não atende mais às expectativas, dá para outra pessoa, devolve para a adoção ou abandona. 
No Brasil, Segundo dados da Organização Mundial Da Saúde, existem mais de 30 milhões de animais abandonados, sendo cerca de 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães. Estes animais sofrem nas ruas passando fome, sede, sem abrigo da chuva e do sol, correndo riscos de serem atropelados, maltratados, sofrem com doenças, parasitas, e quase sempre as pessoas passam por eles como se fossem parte da paisagem: simplesmente não se comovem. Qual é a diferença de um animal de rua ou de um animal de raça? O preço? Pode o ser humano ser tão baixo em tratar os animais como se fossem "coisas"? Pode, e infelizmente é. 
Claramente a adoção de animais não é uma solução para esses números assustadores, é preciso mais do que adotar, castrar e não abandonar, mas primeiramente a população precisa se conscientizar do que pode fazer para ajudar e do que só atrapalha, mesmo porque é uma questão de saúde pública. 


Como Ajudar?

Você quer ajudar? Adote! Se estiver disposto a cuidar do seu animalzinho com responsabilidade e amor, adote! Não pode adotar? Então eu vou te ajudar a ajudar!

  • Doe ração - muitas ONGs batalham para manter seus animais, e a ração que você doar, por menor quantidade que seja vai fazer diferença;
  • Doe medicamentos - os medicamentos para animais são, na maioria das vezes, mais caros do que os nossos, então você pode doar medicamentos fechados, novos ou mesmo aqueles que sobrou quando o seu bichinho dicou doente, que ele não vai mais precisar;
  • Doe jornais - as ONGs que cuidam dos animais sempre aceitam jornais para forrar o espaço onde os eles fazem sujeira, por exemplo;
  • Doe produtos de limpeza - mais uma vez, ONGs e protetores batalham e têm muitos gastos, os produtos de limpeza normalmente têm preços mais baixos, e são de grande ajuda;
  • Doe brinquedos e roupinhas para cães e gatos;
  • Não tem tempo para doar estes itens? Muitas ONGs e protetores aceitam doações em dinheiro para arcarem com os gastos com veterinário, medicamentos, ração, etc.
  • Seja voluntário! Ser voluntário é o máximo, porque além de ajudar, você tem contato com os animais, isso é uma verdadeira terapia. Muitas pessoas não sabem como se voluntariar, e eu vou dar uma dica: o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de São Paulo tem um projeto chamado Cãominhada CCZ, no qual aos domingos o espaço é aberto para você levar os cães para passearem. Basta se inscrever pelo site e se deliciar com o passeio, além de fazer bem aos cães, você também se exercita. A inscrição deve ser feita sempre antecedendo o domingo do passeio, e para os iniciantes há um tipo de "palestra" com todas as instruções. Além de ser voluntário para a Cãominhada, você pode se inscrever para ser voluntário fixo. O link para se inscrever é este: https://caominhadaccz.com/;
  • Apadrinhe um animal.
A seguir, você encontra sites de algumas ONGs e associações que pode ajudar com doações, mais trabalho voluntário e também adotar um amiguinho! Cada um fazendo pouco, ajuda muito!

vira-latas
Estou só observando se você vai ajudar meus aumigos!

Procure Um Amigo: www.procure1amigo.com.br
Adote Um Focinho: www.adoteumfocinho.com.br
Vira-lata É Dez: viralataedez.com.br
Gatinhos Da Vila Prudente: www.gatinhosdavilaprudente.com.br
Projeto Esperança Animal: www.pea.org.br
Projeto Cão Sem Fome: projetocaosemfome.com
SOS Gatinhos: www.sosgatinhos.com.br
Amigos dos Bichos: www.amigosdosbichos.org

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Passeios Diferentes Para As Crianças Em São Paulo

Dia das crianças chegando e você vai levar a garotada para o cinema de novo? Shopping? Parque de diversões? Sim, são atrações ótimas e que as crianças adoram, mas você pode sair do óbvio e programar algo diferente e educativo, e que além da criançada você também aprecie, e o passeio vai se tornar ainda mais gostoso! Então vamos ver agora opções de passeios dentro de São Paulo para a família toda se divertir, dos quais vocês podem ir durante todo o ano!

Zoológico de São Paulo



As crianças adoram ver os bichinhos, principalmente quando são animais exóticos, raros, selvagens. O Zoológico de São Paulo possui cerca de 3.000 animais, entre mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados em uma área de 824.529 m² de mata atlântica e recebe cerca de 1,5 milhão de visitantes por mês. O parque conta com lojas de lembranças, fraldário, máquinas de refrigerante, lojas de fotografia e artigos, sanitários para visitantes com deficiência, oferece o passeio zoo, que são veículos elétricos para facilitar a locomoção dentro do parque, ideal para pessoas idosas e crianças pequenas, sorveterias, quiosques e lanchonetes (uma dica útil: os lanches não são caros dentro do parque, porém, é mais interessante se você puder levar lanche feito em casa, pois as opções não são das mais saudáveis ou saborosas). A atração Mundo dos Dinossauros atrai a curiosidade de crianças e adultos, possui mais de 20 réplicas em tamanho real dos animais, que rugem, se mexem e tornam a experiência mais real. Para a exposição Mundo dos Dinossauros os ingressos são vendidos separadamente, O horário de funcionamento do parque é de segunda-feira a domingo, das 9h até as 17h, e os ingressos variam entre R$10,00 a R$30,00. Localizado no bairro Jabaquara, zona sul de São Paulo, na rua Miguel Estefano, n 4241.
Para mais informações, acessar ao site do zoo http://www.zoologico.com.br/

Aquário de São Paulo



Uma opção que todos vão amar, é o Aquário de São Paulo! Este conta com tubarões, pinguins, ursos polares, tartarugas, leões-marinhos, peixes exóticos e até mesmo coalas e cangurus! Em sua infra-estrutura conta com restaurante e atrações temáticas como o Tanque dos Tubarões, Mergulho das Sereias, Setor Austrália, Aquário Abaixo de Zero, entre outras opções. O espaço também oferece aos visitantes um restaurante self-service com opções de massas, peixes, saladas, carnes. O horário de funcionamento é de segunda a domingo, das 9h até as 19h, e os ingressos custam R$40,00 (meia entrada) e R$80,00 (inteira). Localizado no bairro Ipiranga, rua Huet Bacelar 407, região sul de São Paulo. Para o próximo dia das crianças o Aquário oferece desconto no valor do ingresso.
Para mais informações, acessar ao site http://www.aquariodesp.com.br/

Museu Do Futebol



Para os pequenos e marmanjos fanáticos por futebol! No Museu Do Futebol você vai encontrar exposições de uniformes, acessórios, chuteiras, tudo que proporcionam uma viagem no tempo no mundo do esporte, além de flâmulas, bandeiras, cartazes entre outros itens interessantes. Mais uma vantagem: o ingresso é baratinho, baratinho! Apenas R$9,00 inteira e R$4,50 meia entrada, e funciona de terça a sexta das 9h até 16h, sábados, domingos e feriados das 10h até 17h, e aos sábados o ingresso é gratuito para todos os visitantes. Fica localizado na Praça Charles Miller, s/n, no Estádio do Pacaembu, região oeste de São Paulo,
Para mais informações, acessar http://www.museudofutebol.org.br/

Catavento Cultural



O Catavento Cultural, como o nome já diz, oferece opções de lazer e cultura ao mesmo tempo, onde as crianças podem aprender muito como uma verdadeira aula de ciências interativa e divertida. O museu conta com as seções Universo, com os temas astronomia, sistema solar, galáxias, e outros; Vida, contendo um borboletário, temas como a evolução do macaco ao homem, evolução cultural, corpo humano, arte rupestre; Engenho, com atrações como Sala das Ilusões, Se Liga No Lego, Eletromagnetismo; e Sociedade, com temas de ecologia, história e até um laboratório de química. O Catavento fica localizado no Palácio das Indústrias, região central de São Paulo, próximo ao Mercado Municipal, e funciona de terça a domingo, das 9h até as 17h, o valor do ingresso é de R$6,00, quase de graça, e no próximo dia das crianças a entrada é GRATUITA! 
Para mais informações, o site do Catavento é http://www.cataventocultural.org.br/