Vida de Universitário

Primeira e segunda semanas de agosto, adivinha o que é que tem? Volta às aulas! Que delícia, amiguinhos! Que satisfação! Que saudade dos coleguinhas! Vamos levar a maçã do professor? (Sem veneno, pessoal!) Só que não! Só que não, não, não, não e não!

Quando Começam as Aulas na Faculdade


Quando vai começar o primeiro semestre sente aquela mesma animação de quando tem 11 anos de idade e vai começar a quinta série do ensino fundamental, vai ter um professor para cada matéria, vai começar a usar caneta, já pensa que é adolescente. Quando vai para a faculdade pensa que vai fazer vários amigos, que vai ser descolado, que todo mundo é descolado, que vai arrumar namorado descolado, pensa que vai ter festa descolada, que vai ser o preferido do professor. Mas, como diria Luis Boça "a vida não é um mar de rosas, muito menos um mar de espinhos"; é verdade, mas a vida acadêmica pode ser um Rio Amazonas de espinhos, e eu só vou falar dos espinhos mesmo porque as rosas todos já imaginam sozinhos.

Vida de Universitário


Primeiro semestre é uma maravilha, todo mundo é legal, os professores, as matérias são as mais legais, você ama o curso, ama falar para todo mundo que ama estudar. Segundo ano de curso, metade do curso, você só pensa no quanto já estudou e no quanto falta para terminar, não é mais amigo de todos porque já conheceu as pessoas e tem alguns que você gostaria que rolassem todos os andares escada abaixo, inclusive alguns professores. A turma já está totalmente dividida em grupos que querem ser o melhor em todos os trabalhos e a sala de aula quase vira cenário para uma terceira guerra mundial. Você sente falta de dormir direito, de comer direito, só vive com fome, fica 18, 19 horas acordado por dia, e o tempo todo com fome, sempre recusa os bons programas com os amigos porque tem trabalhos para fazer aos finais de semana. No terceiro ano de curso, tudo isso se intensifica, você tem cada vez mais trabalhos para fazer, chega um momento em que tem 12 trabalhos para duas semanas, pensa que não vai dar tempo, faz primeiro os que valem mais nota. Tem briga no grupo. Mais trabalho. Procura um cantinho e chora. É o momento das crises existenciais: "O que eu estou fazendo aqui? Porque escolhi esse curso? Quem sou eu? Que dia é hoje?". Chega na aula depois daquele trenzão lotado, ônibus, metrô abafado, uma hora e meia pra chegar na faculdade, não tem chamada. Não tem aula, professor quebrou a perna. Tem professor mas hoje é dia de encher linguiça. Pois é, acontece...

Quando está de saco cheio começa a se questionar porque escolheu um curso tão demorado. Quem nunca pensou em desistir? Quantas vezes já pensou em desistir? Em algum momento todos pensam é por isso que de 70 alunos hoje só tem 30. Mas você está entre os 30 guerreiros. Agora falta pouco.

Último Ano de Faculdade


Último ano de curso, você e seu grupo começam a fazer o tão famoso TCC. Vocês estão estressados, na maior correria, preocupados com prazos, com notas, e esse trabalho não é só mais um que vale nota, é mais do que fazer um trabalho para mostrar o que você aprendeu, é o limite entre se sentir um universitário e se sentir pronto para ser um profissional. Tem que ser perfeito. Se antes você sentia falta da sua vida social, hoje mal se lembra dela. E tem mais brigas no grupo. Tudo numa boa. O estresse é maior do que você poderia imaginar, quando está prestes a explodir, respira fundo e pensa "eu não aguento mais", mas está mentindo para si mesmo, você aguenta sim! Por isso você chegou até onde está, e o que faz você aguentar é pensar no "pós-faculdade". Com a correria de tarefa após tarefa é normal pensar somente no presente, no que tem que fazer hoje, entregar amanhã, no que deixamos de fazer hoje, no que queríamos fazer hoje. Mas no instante em que cai a ficha de que está na reta final, o grande momento, a ansiedade e o firo na barriga são nosso combustível. Você se vê formado, respirando aliviado, e continua.


Vida de Universitário - colação de grau


A verdade é que a faculdade não é garantia de sucesso, mas é a primeira parte do caminho longo e difícil. Ainda tem a pós, MBA, tem que ter experiência, contatos, portfólio, tem que ser o melhor. Mas se você chegou até o final da primeira etapa continuar não será um problema, porque você já aprendeu a "matar um leão por dia". Já dizia minha avó: a vida a gente ganha com luta! Então vamos lutar, pela satisfação da conquista e pelo sucesso, vamos cair, nos machucar, e nos levantar. Falta pouco.

Comentários